domingo, 12 de fevereiro de 2017

Dia de Darwin

Hoje, dia 12 de fevereiro, comemora-se o Dia de Darwin.

As Bibliotecas Escolares assinalam este dia com a divulgação da
vida e obra deste importante cientista! 


   Charles Darwin nasce no dia 12 de fevereiro de 1809 em Shrewsbury, Shropshire, Inglaterra. Cientista apaixonado pelas áreas do naturalismo, botânica, geologia e zoologia, desenvolve a teoria da evolução por seleção natural e sexual a partir de um ancestral comum, considerada o paradigma central para a explicação de diversos fenómenos da biologia.

   Os seus pais - o médico Robert Darwin e Susannah Darwin - pertencem à elite intelectual da época. Órfão de mãe aos oito anos, Darwin é enviado para a escola de Shrewsbury. Contudo o seu desempenho não é brilhante, pois está mais interessado em colecionar minerais, insetos, ovos de pássaros e conchas.

  

   Em 1825, o pai decide enviá-lo para a Universidade de Edinburgh para estudar medicina, mas o interesse de Darwin centra-se cada vez mais no estudo da história natural e nas coleções de besouros, pelo que desiste de ser médico. Ainda sob influência do pai, ingressa na Universidade de Cambridge a fim de estudar Teologia. 

   Os três anos passados nesta universidade são, nas palavras de Darwin, "uma perda de tempo do ponto de vista académico, mas uma excelente experiência do ponto de vista social". É em Cambridge que conhece o botânico John Stevens Henslow, o professor que lhe mudaria a vida para sempre. Henslow convida Darwin a integrar, como naturalista, a expedição científica à volta do mundo a bordo do navio HMS Beagle

Universidade de Cambridge
John Henslow
   A viagem do HMS Beagle dura cerca de cinco anos (entre 1831 e 1836). É uma oportunidade ímpar para Darwin observar a grande variedade de vida animal e vegetal, recolher fósseis e outras amostras de diversas espécies, bem como uma enorme quantidade de informação. Explora as águas da América do Sul, seguindo para o Taiti e a Nova Zelândia e regressa a Inglaterra passando pelas ilhas dos AçoresNas ilhas Galápagos, fica surpreendido com a diversidade de tentilhões. Percebe que há diferenças numa mesma espécie que vive em diferentes lugares e em diferentes épocas. Torna-se, assim, um cientista metódico e dedicado que regressa a Inglaterra com um propósito: desenvolver a teoria da evolução

HMS Beagle
Percurso da viagem no Beagle
  
 
                 
   Em 1839 casa-se com Emma Wedgwood. O casal muda-se para uma casa de campo em Down, próximo de Londres. É aqui que Darwin encontra o ambiente propício para se concentrar no trabalho de pesquisa, elaboração e desenvolvimento da sua teoria

Emma Wedgood
Casa de Darwin, hoje museu

Interior da casa de Darwin
Darwin com uma das suas filhas
   Consciente das consequências da defesa das ideias evolucionistas, as quais já tinham sido severamente condenadas pelos meios religiosos e até académicos, Darwin apenas confidencia a amigos próximos os detalhes da sua investigação e espera 22 anos para a tornar pública. Em 1842 redige um esquema de 35 páginas da teoria da evolução. Dois anos mais tarde, aprofunda as suas teses num ensaio de 200 páginas e, ao longo de mais 15 anos trabalha, confere, aperfeiçoa e revê todos os dados, a fim de antecipar possíveis objeções.

Manuscrito de Darwin onde se esquematiza a teoria da evolução das espécies
    Por fim, em 1859, Darwin publica "A Origem das Espécies" (On the Origin of Species by Means of Natural Selection, or Preservation of Favoured Races in the Struggle for Life). Todas as 1250 cópias da primeira edição do livro são vendidas no dia da publicação, provocando reações e discussões imediatas.

Edição de "A Origem das Espécies"
    

     Logo de seguida, Darwin ingressa na Royal Society e é reconhecido com a medalha Wollaston da Sociedade Geológica de Londres. Continua a investigar até ao final da vida, escrevendo uma série de livros, dos quais se destacam, em 1871, "A Descendência do Homem e Seleção em relação ao Sexo" (The Descent os Man and Selection in Relation to Sex) e, em 1872, "A Expressão da Emoção nos Homens e nos Animais (The Expression of the Emotions in Man and Animals).


   Darwin morre a 19 de abril de 1882. Em reconhecimento pelo seu trabalho, foi sepultado na Abadia de Westminster. 


   "Durante a minha viagem a bordo do navio Beagle fiquei profundamente impressionado com a distribuição das populações na América do Sul e com as relações geológicas existentes entre os habitantes do presente e do passado desse continente. Trabalhei com afinco durante a viagem não só por mero prazer de investigar, mas também pelo meu grande desejo de adicionar alguns factos ao enorme conhecimento das ciências naturais.
   Estes factos pareciam lançar alguma luz sobre a origem das espécies - esse mistério dos mistérios."
Charles Darwin, Viagem no Beagle.



Sem comentários: