quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Cartas de Amor...em tempo de Guerra

    Carta de Amor escrita em plena 1ª Guerra Mundial...porque o AMOR sobrevive às guerras!

5 de novembro de 1917
"Meu querido,
Finalmente, graças a Deus, recebi cartas tuas, de Durban, datadas de 19 e 20 de setembro e uma enviada do mar, todas as 3, chegaram juntas no dia 30 de outubro e o lenço de seda também, depois de longos meses cansativos de espera, a minha paciência foi recompensada e agradeço-te muito, querido, foi adorável da tua parte, ver a tua escrita mais uma vez foi como encontrar um tesouro escondido. Que experiência para ti, querido, e o que terás para contar à nossa adorada bebé e a mim quando voltares novamente para nós, e em quantas noites nos sentaremos à luz da lareira a ouvir-te falar de todas as tuas viagens. Que bons tempos serão esses, querido, mal os posso imaginar, se apenas fosse por outro motivo qualquer, poderia ficar tão mais contente, mas não faz mal, querido, essa é a forma desta guerra cruel, por isso devo animar-te pela tua saúde, e iremos compensar tudo isto quando voltares para nós, o que, peço por favor a Deus, não será daqui a muito tempo, pois já estamos fartos disto - E a tua pequena e querida filha junta-se a mim com todo o carinhoso, melhor e verdadeiro amor por ti, querido, e mandamos muitos beijos com amor, e espero que voltes para nós brevemente e em segurança."
Sem assinatura

in
Cartas de Amor de Grandes Mulheres

Ursula Doyle
 
Bertrand Editora

1ª edição

Lisboa, 2010

Sem comentários: